9 de março de 2015

O que é ser reikiano?




Ser reikiano


Muitas vezes as pessoas me perguntam o que é ser um reikiano.

Não gosto de oferecer uma visão mística, doce, espiritualizada demais. Não, o Reiki é bem pé no chão. Não tem isso de deslumbrar-se, embora aconteça frequentemente. Gosto de ser mais prática, mais direta. Tento ser simples, assim como o Reiki. Ser reikiano é simples. Não exige nada demais. Mas aceita a dedicação, o esforço em crescer e a disciplina.


Ser um reikiano é um eterno compartilhar. Não a nossa própria energia, pois nos desgastamos, mas o Reiki e este nunca acaba.

É andar pela vida e compartilhar o Reiki com todos:
*um caixa do supermercado que está um pouco triste, então traçamos um Sei He Ki sobre ela e deixamos a energia do Reiki atuar;
*alguém que anda cabisbaixo na rua e traçamos um Cho Ku Rei sobre a pessoa;
*é entrar em um hospital e imaginar um enorme Dai Ko Myo que vai crescendo, crescendo e envolvendo a todos;
*é ver um animal perdido ou adoentado e traçar o Cho Ku Rei para que ele se reestabeleça;
*observar uma pessoa triste e desanimada e pedir a Kwan Yin que a envolva com seu manto de luz violeta;
*é um olhar diferente para com todos, um olhar carregado de energia Reiki.

Somo reikianos vinte e quatro horas por dia. A cada ação, a cada pensamento.

Começamos lentamente, com o nível I, para nós mesmos e para as pessoas próximas.

Depois começamos a espalhar esta energia amorosa para todos, com a capacidade expandida do nível II. E, neste nível, começamos a trabalhar nossas vidas passadas, limpando, resgatando, tomando consciência das coisas que estamos fazendo. Nos disciplinando emocional e mentalmente.

Quando chegamos no nível 3 aumentamos a nossa própria consciência, assumimos as nossas responsabilidades e vamos aos poucos nos livrando das ilusões que nos limitam.

Nesta caminhada vamos aumentando o nível de nossa consciência, melhorando a nossa lucidez, a nossa percepção do Agora.

E tem o Karuna Ki, este maravilhoso encontro com a amada Kwan Yin. Aqui começamos a perceber que a vida não é só merecimento… é principalmente compaixão. Aos poucos vamos percebendo que todos precisam do Reiki, todos precisam de amor, não apenas os que “merecem ou fazem por merecer”. A Kwan Yin não faz esta distinção e isto vai nos contaminando e assim vamos espalhando o Reiki sem olhar a quem. Para todos.

As vezes surge aquele pensamento egoísta de que estamos fazendo tudo isto para receber algo no futuro, para garantir um lugar no céu, para nos passarmos por bonzinhos, iluminados……

Mas é um simples pensamento que se dilui rapidamente na certeza de que o Reiki que enviamos não está preocupado com a retribuição. Mas isto é um aprendizado!!!

Das poucas coisas que eu acredito serem “universais” é que tudo aquilo que oferecemos para Deus, para o Universo, nos retorna em igual medida.

Muitos reikianos se preocupam de que não estão conscientes, que não percebem o fluir do Reiki, que não percebem o alcance das suas ações. Mas isto não é importante. É algo que gradualmente vai acontecendo, na justa medida do momento de cada um de nós. Sem pressa e sem cobrança.

O estar consciente vai acontecendo. As ilusões vão desaparecendo. E a cada dia sobra mais e mais energia para que possamos cuidar de nós mesmos. Para nos iluminarmos.

Há no Reiki todo um potencial que a maioria não percebe e nem explora. Mas isto faz parte do fluir, da vida, de Deus. Isto vai mudando aos poucos.

E, ao mesmo tempo, em que vamos beneficiando a todos, sem distinções e sem preconceitos, vamos nos beneficiando. E isto não para nunca mais. Começa nas iniciações e se prolonga por toda a nossa vida.

E é sempre tempo de nos tornarmos reikianos. Não importa se temos oito ou oitenta anos. É sempre tempo!



_/\_  Namastê! (Só para lembrar: o Deus em mim saúda o Deus em você)






Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...